Camaçari Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
17 de setembro de 2010 09:23

Depressão

Por Luciano Cairuz

É um Transtorno que afeta o “humor” do indivíduo, alterando sua maneira de ver o mundo e até mesmo algumas funções do corpo, como: O sono, a alimentação, a libido e o vigor físico. O termo Depressão pode significar um sintoma que faz parte de inúmeros distúrbios emocionais sem ser exclusivo de nenhum deles, pode significar uma síndrome traduzida por muitos e variáveis sintomas somáticos ou ainda, pode significar uma doença, caracterizada por marcantes alterações afetivas.

O público está certo ao estranhar a ostensiva e constante presença desta tal Depressão em quase tudo que diz respeito à transtornos emocionais, e os psicanalistas não estão menos certos ao procurarem descobrir uma ponta de Depressão em quase tudo que lhes aparece pela frente.

Do ponto de vista clínico seria extremamente fácil e cômodo se a Depressão fosse caracterizada, exclusivamente, por um rebaixamento do humor com manifestação de tristeza, choro, abatimento moral, desinteresse, e tudo aquilo que todos sabemos que uma pessoa deprimida apresenta.

Desta forma até o amigo íntimo, o vizinho ou o dono da padaria da esquina poderiam diagnosticá-la. A parte mais difícil e trabalhosa da psicanalise está no diagnóstico dos muitos casos de Depressão atípica, incaracterística ou mascaradas, bem como, perceber traços depressivos em outras patologias emocionais, como por exemplo, nos casos de Pânico, Fobia, etc.
Entre as emoções, aquelas decorrentes do estado de humor são as mais estudadas e, entre essas, a mais pesquisada é a Depressão.

A sintomatologia depressiva é muito variada e muito diferente entre as diferentes pessoas. Para entendermos melhor essa diversidade de sintomas depressivos, vamos considerar que, entre as pessoas, a Depressão seria como uma bebedeira geral, onde cada pessoa alcoolizada ficasse de um jeito; uns alegres, outros tristes, irritados, engraçados, dorminhocos, libertinos…

A única coisa que todos teriam em comum é o fato de estarem sob efeito do álcool, todos estariam tontos, com os reflexos diminuídos, etc. Na Depressão também; cada personalidade se manifestará de uma maneira.
Por que algumas pessoas têm Depressão?

A sociedade a classifica de “Doença da alma”, ganhou caráter químico ao ser descoberta sua ligação com a falta de duas substâncias no cérebro: Serotonina e a Noradrenalina
Deficiência de Serotonina:

– Desmotivação
– Pouco ou muito apetite
– Pouco ou nenhum interesse sexual
– Agressividade
– Oscilação de humor
– Pensamentos negativos
– Ansiedade
– Irritabilidade
Deficiência de Noradrenalina:
– Falta de energia
– Concentração reduzida
– Insônia
– Incapacidade de tomar decisões
– Pensamentos negativos
– Ansiedade
– Irritabilidade

As três formas de Depressão:

1) Depressão Somatogênica – São depressões desencadeadas por doenças diversas, como: Dores crônicas, diabetes, parkinson, AIDS, hepatite, etc. Dentro deste tópico, convém lembrar que alguns medicamentos provocam depressão.

2) Depressão Endógeno-Psicótica – É a mais rara, porém, grave. Estudos apontam causas biológicas e, possivelmente, relacionado à hereditariedade.

3) Depressão Psicorreativa Neurótica – É a mais comum (algo em torno de 70 % dos casos). É o que chamamos de ?Mal do Século”. Causas: Alcoolismo, conflitos amorosos, infidelidade, dificuldades na sexualidade, estresse, desemprego, etc….

Desdobramento dos quadros de Depressão:

Quadro Depressivo Leve – Os pacientes apresentam perda de interesse e do prazer, sente fadiga, angústia, tem dificuldade de realizar o trabalho do dia-a-dia e atividades sociais, contudo não pára as suas atividades.

Quadro Depressivo Moderado – O paciente tem os mesmos sintomas do quadro leve, porém terá dificuldade de realizar suas atividades laborativas, sociais ou domésticas.

Quadro Depressivo Grave – O paciente apresenta angústia ou agitação considerável, perda da auto-estima, sentimentos de inutilidade, sentimento de culpa, vontade de morrer e incapacidade para realizar suas atividades.

Sintomas da Depressão:

Desânimo, falta de apetite, choro com facilidade, agitação, puilsões de morte, retraimento, irritabilidade, humor deprimido, etc. No Brasil muitas pessoas nem procuram um médico, pois não acreditam estar doentes, ou simplesmente vão a um clínico geral, que não tem informação para detectar um quadro de depressão. A desinformação é tamanha que a maioria interpreta mal os sintomas do paciente.

Exemplo: O paciente chega no consultório e diz que está sem ânimo para nada, até para namorar. Ainda chorando muito, pergunta: Será que estou com depressão?

Respostas:

Endocrinologista: Deve ser problema de tireóide e por isso ganhou peso, deve fazer dieta.

Ginecologista: Está entrando na menopausa e deve fazer reposição hormonal.

Cardiologista: Está com o colesterol alto, deve fazer exercícios e dieta.

Ortomolecular: Precisa tomar vitaminas para deter a ação dos radicais livres noorganismo.
Camaçari na Bahia aponta uma média de 7 óbitos por suicídio ao ano.

Dados Importantes:

– Aproximadamente, 400 milhões de brasileiros sofrem de Depressão;
– A doença é duas vezes mais comum em mulher do que em homem.
– A Depressão pode prejudicar o coração num período de até 10 anos após ter tido Depressão.
– Cerca de 20% dos brasileiros vão passar por, pelo menos, um quadro depressão na vida.
– A idade média da 1a depressão caiu de 40 para 26 anos, sem contar que existem pessoas mais jovens e até crianças já com a doença.
– Em 2002, 16 milhões de antidepressivos foram vendidos para cerca de 700 mil pacientes no país.
– O paciente que não receber tratamento adequado pela 1a vez, terá 50% de chance de enfrentar uma segunda manifestação da doença.

Depressão Infantil

Crianças de um ano e meio em diante também podem entrar emestados depressivos. As crianças deprimidas mostram um quadro detristeza e apatia, com falta de interesses em brinquedos e qualquer atividade. Condutas mais importantes que caracterizam a Depressão infantil:

Oscilação no humor – Tristeza ou Euforia Auto desvalorização – Eu não consigo; não posso; estou cansado.

Modificação no desempenho escolar – desadaptação da criança; dificuldade de concentração; atraso no desenvolvimento psicomotor.

Suicídio – Essa intenção consciente de suicidar-se costuma surgir somente a partir de 6 anos de idade. Em crianças, cuja vida emocional ainda está em formação, o mais indicado é uma assistência psicanalítica e o aconselhamento. Remédios não ensinam ninguém a viver.

Tratamento:

Psicoterapia no Tratamento da Depressão – No que se refere a prática clínica, a Psicoterapia Breve, é uma forma eficaz para os casos de Depressão, pela riqueza técnica que dispõe; principalmente no que tange ao acolhimento, a valorização, o apoio e a instilação de esperança que a técnica, de um modo geral, oferece ao paciente.A Psicoterapia Breve é um tratamento psicodinâmico, por estar firmemente ancorado nos princípios psicanalíticos, e que, concebe a Depressão em termos de um fracasso adaptativo resultante de conflitos intrapsíquicos. E, ao invés de se dirigir apenas aos sintomas depressivos, a Terapia tem como objetivo usar a relação terapêutica para investigar e esclarecer os conflitos neuróticos, principalmente àqueles de proximidade e intimidade afetiva que, aliás, são os mais frequentes. De uma forma mais prática diríamos que o psicanalista está preocupado tanto com a origem dos comportamentos depressivos, quanto com as conexões entre o início dos sintomas e os problemas atuais mais ativos na vida do paciente.Em alguns casos de Depressão se faz necessário um médico para receitar medicamentos antidepressivos.
Como Vencer A Depressão?
– Aprenda a lidar com desapontamentos, perdas, fracasso,…
– Rejeitar pensamentos negativos, objetivando um Viver Feliz
– Confiança em Deus

– Mudança de ambiente:> Redução da jornada de trabalho > Mudar a rotina> A família estimulando um ambiente de apoio.
– Acredite em você

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*

02/10/2013

SAMUEL

Dr. Cairuz

Boa Tarde !

O senhor poderia ajudar alguém que foi diagnosticada com transtorno bipolar, minha esposa foi diagnosticada em dezembro de 2012, porém não quer fazer o tratamento, iniciou e tomou medicamentos por mais ou menos 05 meses e já teve várias recaídas e ainda sim não quer fazer o tratamento. Ela é cristã e está dizendo que o que ela está passando é uma situação espiritual e que medicamentos não resolvem. Até para ir ao médico ginecologista ela tem resistencia. Não sei como fazer, e o pior de tudo é que está causando transtorno para toda a família, meus filhos principalmente, pois ela não deixa eles frenquentarem a escola de forma normal, ela quer que eles se vistam como cristãos a todo tempo, e ela não deixa as crianças irem à praia, rio e passear.
Se o senhor puder me ajudar, gostaria muito de contar com essa ajuda a baixo de Deus.