Camaçari Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
18 de novembro de 2010 07:31

“Ganhar o Baiano é prioridade”, diz presidente do Bahia

Marcelo Guimarães Filho visita o CORREIO e fala sobre meta principal de 2011

Por Editor
 

Marcelo Guimarães Filho, presidente do Bahia.

Foto: Correio da Bahia

 

Marcelo Guimarães Filho, presidente do Bahia, visitou o CORREIO para um papo sério com os jornalistas de plantão. Na pauta, planejamento de 2011, eleições diretas no clube, além da obsessão pelo título do Campeonato Baiano. Confira:

Prioridade para 2011?
Ganhar o Baiano. Eu falo a nível de título, porque ficar na Série A é a prioridade. Agora, com outro horizonte de receita e na Série A, a responsabilidade é maior.

Bahia e Vitória na Série A é bom pro Campeonato Baiano?
Eu acho. O Bahia recebe do Clube dos 13 uma receita de TV de R$ 300 mil por mês. Perdemos dois estaduais por um detalhe, com o Vitória recebendo R$ 1,5 milhão. Vamos fazer um time para o Brasileiro já no Baiano.

E é melhor pro Bahia ter o Vitória na Série A?
É… veja bem. Como é que eu posso responder isso? Eu não… eu torço pro Bahia. Se você me perguntar como dirigente, eu não posso deixar de dizer que o Vitória na Série A é melhor. Como torcedor… Aí é outra história.

Qual a projeção de arrecadação para 2011?
A gente espera dobrar nossa receita de marketing. A gente já tem ido bem nesse aspecto, também pelo desempenho do time. Vendemos muita camisa. Agora, nós estamos revendo muitos contratos. A própria Lotto, por exemplo. Precisa melhorar muito. Vamos também incrementar o Torcedor Oficial. É um programa de relacionamento com o torcedor que a gente quer melhorar cada vez mais.

Lança agora?     
Acabou a Série B, nós vamos lançar. Vou usar uma frase aqui pro torcedor entender. O que o Bahia precisa, principalmente no marketing, é “surfar na onda”.

E a Série A?  
O foco do Bahia é ser campeão baiano, fazer uma bela Copa do Brasil. A gente precisa ser realista. Não posso prometer que o Bahia vai brigar pelo título da Série A. Nós vamos montar um time pra ficar entre os 10 ou, de repente, pegar alguma coisa mais pra cima. Chegar na Sul-Americana. Em 2012, com novo centro de treinamento e futuramente com a Fonte Nova, a gente tem um horizonte muito melhor.

Por falar nisso, como anda o projeto do novo CT?
Pronto. A gente só está esperando o campeonato terminar pra apresentar para imprensa, torcida, conselho e assembleia. O Bahia não está financiando nada. Você tem o atual centro de treinamento pago, do clube. E vai passar a ter outro, pago, do clube. Numa área, inclusive, melhor. Você vai ter lá fisiologia, fisioterapia, academia, hotelaria para os profissionais e base. O recurso não dá pra construir ele todo. Então, fica um plano diretor para outra diretoria.

Pra sair do papel, a parceria é com a OAS mesmo?
Sim. É vender o terreno pra OAS, nossa parceira nesse acesso e, com o dinheiro, comprar o CT e construir o que dá, o que tem no Fazendão. O restante, por exemplo um miniestádio, é uma coisa que fica pro futuro.

Em quanto tempo?   
Em 18 meses. A ideia é, em janeiro, iniciar as obras para entregar em julho de 2012.

Patrocínios pra 2011? A camisa vai ficar cheia de anúncio?
Como torcedor, eu não vejo com bons olhos. Mas é isso aí. Se a gente puder vender cada pedacinho da camisa, vamos ter que fazer. É dinheiro.

Diferença de 2009 e 2010?
O princípio sempre foi profissionalizar o marketing, o jurídico e, principalmente o futebol. A intenção com Paulo Carneiro era essa. Nós fizemos de tudo pra que desse certo e ele também. Ele mais do que ninguém. Não deu. Acertamos com o Angioni.

Ele foi decisivo?
Foi. É uma pessoa da área, com bons relacionamentos. Foi importante pra trazer alguns jogadores, trabalhou muito bem e foi importantíssimo, ainda mais no dia a dia.

A folha de 2011 será maior?
Nossa folha atual é de R$ 1,1 milhão. A ideia é dobrar isso. É gastar com eficiência. Se você vai ter três ou quatro jogadores com salário alto no orçamento do clube, é um risco que você deve ter.

Você ficou devendo o novo estatuto do clube…
Na assembleia geral de sócios, recebi 15 emendas justamente do tema eleição. Minha ideia foi aprovar o restante do estatuto e depois aprovar as emendas. Mesmo depois de nós termos conversado, terminou que as pessoas não aceitaram a votação. Vou usar um termo forte: uma extrema burrice. Logo depois, alguns membros entraram na Justiça querendo a anulação da assembleia. Se eu quiser convocar uma assembleia amanhã, não posso. O que eles divergem é que o sócio do clube deveria se candidatar hoje e ser presidente amanhã. Um absurdo. Na proposta que fiz, o cidadão se associa hoje, depois de seis meses ele pode votar e, depois de 18 meses, pode ser votado. O único requisito é que seja conselheiro. Dizem que o conselho não se renova. O grande avanço é que a eleição do conselho, na minha proposta, é proporcional.

Pensa em reeleição?
Meu mandato termina em dezembro de 2011. Acho que três anos é pouco. Não sei se vou deixar ou continuar em 2011. Esse momento do Bahia anima, seduz. E tem Copa 2014, Fonte Nova.

Fonte: Correio da Bahia

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*