Camaçari Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
11 de novembro de 2010 23:44

Embasa: Novas medidas estão sendo providenciadas para o verão

Mais um poço ficará pronto até dezembro para abastecer a Orla

Por Fabiane Santos
 

Embasa realiza medidas para solucionar o problema da falta de água na orla

Foto: Fabiane Santos

 

Visando os problemas e as dificuldades de abastecimento de água no período da alta temporada de verão na Orla de Camaçari, a EMBASA já está se organizando para solucionar o problema. Segundo informações da empresa, mais um poço está sendo construído, com previsão de ficar pronto até o final de dezembro, para atender a demanda.

Segundo informações de José Moreira, gerente Regional da Embasa em Camaçari, a média mensal de consumo para cada ligação é de 12 a 15 mil litros de água. Contudo, na orla, por ser um local mais quente, isso aumenta 60%. Sendo ofertados para cada ligação no período de outubro à março, 33 mil litros de água por mês, e ainda assim acaba não atendendo. As ligações clandestinas somam 52% de toda  a água que é distribuída para a região.

São três sistemas para abastecer a região da orla de Camaçari. O sistema de Machadinho abastecendo 15.100 ligações, o sistema de Jordão com 10.600 ligações e Barra do Pojuca com 2.150 ligações. Porém, por causa das ligações clandestinas, o consumidor que paga sua conta em dia acaba sofrendo. Segundo Moreira se não fossem os “gatos”, a orla estaria muito bem servida de água.

As dificuldades de se fornecer e atender bem a população da orla são as áreas que não foram regularizadas, por se tratar de áreas de invasões e de APA (Área de Preservação Ambiental). Moreira comenta que só pode acontecer a ligação das redes por uma decisão do Mistério Público. “O Ministério Público teria que autorizar a nossa entrada na área para fazer a ligação”, comentou.

Outro problema que Moreira diz enfrentar com as ligações clandestinas são os reparos que precisam fazer após a ruptura da rede. “Eles fazem as ligações clandestinas a noite, e com a pressão da água a rede estoura. Com isso precisamos fechar o fornecimento para fazer o reparo, é quando eles ficam sem água e a culpa vem para a EMBASA. Só que não foi a EMBASA que fez a ligação clandestina”, disse.

Sobre a água que abastece os hotéis, pousadas e grandes condomínios da orla Moreira comenta que a rede é a mesma para todos. “A água que vai para os grandes hotéis, pousadas e casas residências é a mesma, a diferença é que uns tem reservatório e outros não. A pessoa que tiver reservatório em casa não ficará sem água”, disse.

Na orla além de todo o abastecimento que chega pela rede de distribuição, cinco carros pipas são disponibilizados para fornecer água e os locais variam de acordo com a necessidade e pedidos da população. “Estamos trabalhando para que não exista mais esse problema de falta de água na orla”, relatou Moreira.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*