Camaçari Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
26 de novembro de 2010 13:58

RMS registra menor taxa de desemprego desde 1996

O desemprego na RMS caiu de 16,2%, em setembro, para 15,4%, em outubro

Por Editor

O desemprego na Região Metropolitana de Salvador (RMS) caiu de 16,2%, em setembro, para 15,4%, em outubro. A informação consta da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), realizada pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia da Secretaria Estadual do Planejamento (Seplan), em parceria com o Dieese, Fundação Seade e a Secretaria Estadual do Trabalho, Emprego, Renda  e Esportes (Setre). De acordo com a pesquisa, esta é a menor taxa de desemprego desde o início da série, iniciada em dezembro de 1996.

O número de trabalhadores ocupados alcançou 1 milhão e 612 mil na RMS, enquanto o de desempregados foi estimado em 294 mil pessoas. Esse comportamento deve-se ao acréscimo de 35 mil novas posições de trabalho, quantidade maior que o número de pessoas que ingressaram na População Economicamente Ativa (PEA), estimada em 24 mil.

 “Normalmente, no segundo semestre do ano, o desempenho do emprego é positivo, mas em 2010, tanto a Bahia quanto o Brasil, estão apresentando uma seqüência de recorde da ocupação e da queda do desemprego. Há um ano, a Bahia conseguiu atingir a marca de mais de 1 milhão e 500 mil pessoas ocupadas. Este ano alcançamos novamente o recorde histórico ao ter mais de 1 milhão e 600 mil pessoas trabalhando, o que nunca aconteceu antes”, ressalta Luiz Chateaubriand, economista da SEI/PED.

Em outubro, a RMS foi a segunda região em que o nível de ocupacional mais cresceu (2,2%), ficando somente atrás de Recife (2,3%). Em seguida, Fortaleza (1,4%), São Paulo (1,3%) e, em menor medida, Porto Alegre (0,5%) e Belo Horizonte (0,4%). Apenas no Distrito Federal houve pequena redução (0,7%).

O resultado da RMS decorreu do aumento no contingente de trabalhadores no Comércio (14 mil, 5,6%), nos Serviços (13 mil, 1,4%), na Construção Civil (6 mil, 5,1%) e no agregado Outros Setores, que inclui Serviços Domésticos e Outras Atividades (6 mil, 4,5%). Houve redução no contingente dos trabalhadores na Indústria (4 mil, menos 3,1%). “As contratações de final de ano e a expansão de empreendimentos como a abertura de novos shoppings fazem com que o segmento de Comércio tenha tido um resultado muito bom no mês de outubro”, diz Chateaubriand.

No mês de setembro, em relação a agosto, o rendimento elevou-se para os ocupados (0,8%) e manteve-se em relativa estabilidade para os assalariados (-0,2%). Os valores desses rendimentos foram estimados em R$ 1.085 e R$ 1.173, respectivamente.
 
Comportamento em 12 meses
 
Em relação a outubro de 2009, a taxa de desemprego diminuiu intensamente, ao passar de 18,7%, para os atuais 15,4% da PEA. No mesmo período, o contingente de desempregados diminuiu em 51 mil pessoas, como resultado da geração de 111 mil ocupações, número superior ao de pessoas que ingressaram no mercado de trabalho (60 mil).

Na comparação entre outubro de 2010 e o mesmo período de 2009, o desempenho positivo do nível de ocupação foi observado em quase todas as regiões pesquisadas – Recife (11,9%), Salvador (7,4%), São Paulo (4,4%), Fortaleza (4,1%), Porto Alegre (4,1%) e Distrito Federal (3,3%). A exceção foi Belo Horizonte, onde o nível de ocupação manteve-se em relativa estabilidade (-0,1%).

Nos últimos 12 meses, o número de ocupados aumentou 7,4%, passando de 1.501 mil para 1.612 mil pessoas. Observou-se crescimento generalizado nos setores de atividade econômica analisados – Serviços (57 mil, 6,3%), Construção Civil (25 mil, 25,5%), agregado Outros Setores, que inclui os Serviços Domésticos e Outras Atividades (13 mil, 10,4%), Comércio (12 mil, 4,8%) e Indústria (4 mil, 3,3%). Em comparação a setembro de 2009, o rendimento aumentou para os ocupados (8,1%) e os assalariados (5,8%).

Fonte: Agecom-BA

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*