Camaçari Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
17 de novembro de 2016 12:15

MPF: Sérgio Cabral recebia “mesadas” de empreiteiras

Ex-governador do Rio foi preso nesta quinta-feira

Por Redação

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, teria recebido propina de construtoras entre 2007 e 2014, afirmaram nesta quinta-feira (17) a Polícia Federal, a Receita Federal e o Ministério Público Federal.

Ele foi preso hoje na Operação Calicute, sob acusação de desviar recursos de obras feitas pelo governo estadual com recursos federais. As investigações apontam que o ex-governador chefiava um esquema de corrupção e chegou a receber R$ 2,7 milhões em espécie da empreiteira Andrade Gutierrez, por contrato em obras no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

Cabral também lavou dinheiro e fraudou licitações por meio de contratos falsos com consultorias e por meio da compra de bens de luxo.

“Há fortes indícios de cartelização de obras executadas com recursos federais, mediante o pagamento de propina a funcionários e a Sérgio Cabral”, afirmou o procurador do MPF no Rio de Janeiro, Lauro Coelho Junior.

A PF e o MPF se concentraram na apuração de irregularidades em três obras, cada uma orçada em mais de R$ 1 bilhão: a reforma do Maracanã para a Copa de 2014, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Favelas e o Arco Metropolitano.

A operação cumpre dez mandados de prisão e duas pessoas não foram encontradas em casa. Há ainda 14 mandados de condução coercitiva, incluindo a ex-primeira dama Adriana Ancelmo, e 38 mandados de busca e apreensão Decisões judiciais da 7ª Vara Criminal do Rio de Janeiro e da 13ª Vara Criminal de Curitiba também determinaram o sequestro e arresto de bens de Cabral e mais 11 pessoas físicas e 41 pessoas jurídicas.

Os comentários para este conteúdo estão encerrados.