Camaçari Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
03 de setembro de 2010 01:14

Vereadores discutem participação em movimento contra pedágio da CLN

O vereador Cleber Alves (PT) e Téo Ribeiro (PT) se desentendem ao debaterem o assunto.

Por Editor

Durante a 32ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Camaçari, os debates esquentaram mais uma vez quando o assunto foi a mudança do pedágio da CLN, localizado atualmente em Vila de Abrantes, para o limite entre Camaçari e Lauro de Freitas. O debate começou quando o vereador Cleber Alves (PT), questionou por que os vereadores não compareceram, no domingo, 29 de agosto, num movimento organizado por alguns condôminos contra a mudança do pedágio.

“Eu estive lá sozinho num ato que foi organizado pelo povo e tomei porrada sozinho. Nenhum vereador foi lá. Só depois que eu saí foi que a vereadora Luiza Maia chegou. Só quando a coisa estava mais calma”, disse Cleber.

Em resposta a provação, o vereador Téo Ribeiro (PT), afirmou, “eu não entendo o porquê que naquela época, quando o pedágio estava se instalando e nós íamos para lá, mesmo tomando porrada da polícia, para se manifestar contra, o vereador Cleber Alves nunca apareceu. E hoje ele reclama nossa presença. Logo nós que lutamos desde o início desse processo”.

O vereador Cleber respondeu que não participava por que achava que o Movimento Pedágio Livre era promoção para políticos, mas que no domingo, durante o movimento dos condôminos eles estavam reclamando que não queriam nenhum político envolvido para se promover e que agora os vereadores são a favor do pedágio.

Cleber  também falou que, “o vereador Oto questionou minha presença no Movimento Pedágio Live. Eu nunca participei e nunca irei, pois eu não sou contra o pedágio, eu sou contra onde ele foi instalado”.

A vereadora Luiza Maia (PT), que junto com Téo Ribeiro foi uma das fundadoras do Movimento Pedágio Livre, disse que, “não adianta este movimento dizer que nós somos a favor do pedágio e que não quer a presença de políticos, pois nós sempre lutamos contra. E não seria diferente agora que o pedágio quer aumentar o valor das tarifas em 35% e ainda se mudar para o limite entre Camaçari e Lauro”.

Contudo, a informação de aumento na tarifa do pedágio foi negada pela Assessoria de Comunicação da AGERBA, que afirmou não haver nenhum projeto neste sentido.

O vereador Elinaldo (DEM), durante seu discurso fez uma pergunta aos vereadores do governo. “Vocês ficam discutindo que o pedágio da CLN está aí por causa de Tude, que ele não teve peito para impedir a instalação. E por que agora, Wagner e Caetano não impedem a mudança do pedágio? E o que dizer sobre os pedágios de Wagner, na Parafuso, BA-093 e outras estradas, que fechará Camaçari, deixando-a como uma ilha?”, argumentou.

O único vereador a responder foi  Téo Ribeiro que afirmou. “Eu sou contra qualquer tipo de pedágio”, disse.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*